E agora, que window manager usar?

Por um bom tempo eu fui um usuário feliz do Xmonad. Ele é excelente: leve, customizável e faz exatamente e nada mais do que eu gostaria que ele fizesse. Bom, leve depende da sua interpretação. Leve em CPU e em RAM? Com certeza, mas não acho que um programa que instale uma dependência de 500MB quando descompactada seja leve [1]. Ainda que se eu usasse Haskell para alguma outra coisa, mas não, não uso.

Eu já tinha o Openbox instalado aqui, então resolvi iniciá-lo. Fazia tempo que não usava gerenciadores de janela “normais”, com menus, barra de tarefas, etc; queria ver como eu me saía com um desses. A verdade é que durante minhas crises de identidade nerd, eu me sinto estranho usando usando tiling window managers.

Outro motivo para eu tentar o Openbox foi um amigo ter feito keybindings que deixavam seu uso mais prático com o teclado. Basicamente, um gerenciador de janelas normal nas aparências, mas com mais funcionalidades. Entretanto, porém, todavia, quando fui editar o rc.xml que eu me lembrei o que XML significa: “algo não muito apropriado para arquivos de configuração”.

Esse meu amigo até me ofereceu o arquivo dele, mas creio que não daria muito certo. Ele está acostumado ao Rat-poison (comandos parecidos com Emacs) e eu com Awesome/Xmonad (parecidos com o Vi). Além disso, não dá. Não consigo mais me acostumar a janelas se sobrepondo e a necessidade de ficar movendo-as manualmente e as redimensionando. Humanos não deveriam ser obrigados a fazer isso, essa é a função do gerenciador de janelas.

Por fim, decidi voltar aos tiling window managers, mais especificamente ao Awesome. Minha maior birra com ele é quanto o arquivo de configuração mudava de uma versão para outra, mas me parece que desde a versão 3.1, isso se estabilizou.

É verdade que o Awesome depende da Lua, mas enquanto o GHC ocupa meio gigabyte de espaço, Lua não tem um mega. Além disso, me surpreendi, o Awesome é mais leve que o Xmonad (se considerarmos que eu usava o dzen com o Xmonad, mas não há essa necessidade com o Awesome). Outra coisa estranha é o consumo de memória “residual”. Com o Xmonad, mesmo depois de fechar o Firefox, o consumo de memória ficava relativamente alto, mas com o Awesome isso não está acontecendo.

Vou usar o Awesome, pelo menos por enquanto.

[1] Sim, estou falando do GHC.

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: