Linux: Programas para o console

Como eu comentei no artigo anterior, em que eu mostrava como mudar as cores no console do Linux, vou falar sobre alguns programas que rodam sem o X. É claro que se pode usá-los no X também, mas a idéia desse artigo é mostrar que sim, existe vida sem o X!

Algum deles precisam de um framebuffer (que em breve eu mostrarei como configurar), outros não, e eles estão organizados em nenhuma ordem específica.

links

Este é um browser que funciona tanto sem framebuffer como com. Sem, ele mostra o texto da página na tela, mais ou menos como os comandos less e more fazem. Para selecionar o link que se quer seguir, use as setas para cima e para baixo; para avançar, enter ou a seta para direita e para voltar, aperte a seta para esquerda.

Com framebuffer, ele se parece mais com um browser normal, mostrando até imagens (embora o layout não fique exatamente igual a como se veria a página num “browser de verdade”). Para tê-lo funcionando neste modo, além do frambuffer, é preciso ter o gpm rodando e o links ter sido compilado com as opções
./configure --prefix=/usr --mandir=/usr/share/man --enable-javascript --enable-graphics --with-x --with-fb --without-directfb

Não esqueça de verificar antes se sua distro não possui já o pacote links-g pré-compilado. E para executá-lo no modo gráfico, rode links -g (é possível usar esse modo gráfico no X também, sendo um browser bastante leve). Assim no modo gráfico, ele pode ser usado também como visualizador de imagens.

programas semelhantes: existem vários outros browsers de modo texto tais como lynx, elinks, w3m, mas esses não possuem modo gráfico. Uma alternativa mais completa é o hacked links, que é o links modificado com algumas coisas a mais.

gpm

No texto sobre o links eu falei que era preciso ter o gpm rodando, mas o que ele faz (pergunta retórica)*? Ele é um daemon que oferece funcionalidades do mouse ao console. Por exemplo, com ele é possível selecionar texto usando o mouse e depois colá-lo.

mpd e ncmpcpp

mpd é um acrônimo para Music Player Daemon. Isso já diz tudo, ele é um player que funciona como um daemon e pode-se escolher a interface que se quiser para controlá-lo. O ponto fraco do mpd é que até a versão mais recente, 0.13.2, ele não é capaz de reproduzir arquivos que não estejam numa biblioteca pré-configurada (isso inclui CDs de áudio).

Entre as interfaces, as mais úteis para o console são o ncmpcpp (que é uma versão melhorada do ncmpc) e o mpc. O primeiro é uma interface em ncurses, você pode criar uma playlist e depois fechá-lo que ele continuará tocando. O segundo é útil para fazer scripts e funciona direto da linha de comando, ex: mpc stop . Quem for usuário do last.fm pode instalar mais um daemon, chamado mpdscribbler.

mplayer

O mplayer é um velho conhecido dos linuxers, e ele funciona também no console, com ou sem framebuffer. No primeiro caso é simples, basta executá-lo como se faria no X, mas no console.

No segundo caso ele funciona, mas concordo que sirva mais como uma brincadeira que qualquer outra coisa. Existem as bibliotecas aa e caca que permitem a execução do vídeo em ascii. Sim, em letrinhas. A diferença é que uma não tem cores e a outra tem.

mplayer -vo aa -monitorpixelsize 0.5 arquivo
mplayer -vo caca -monitorpixelsize 0.5 arquivo

Além disso, já que o mpd não executa arquivos que não estejam na biblioteca, pode-se usar o mplayer para essa função, ao menos para executar CDs de áudio (sem o cache ele pode travar às vezes):

mplayer -cache 2048 cdda://

pebrot

Queira ou não, o MSN é o mensageiro instantâneo mais usado no Brasil e o pebrot é um cliente em curses para ele. Além do que, o MSN pode ser bastante útil na solução de problemas se houver algum amigo que também use Linux na sua lista de contatos.

pdftotext, antiword, catdoc e o3totxt

Estes são programas que convertem alguns formatos de arquivos para texto apenas. O primeiro, como o nome diz, converte pdfs, os dois do meio convertem arquivos da Microsoft e o terceiro converte arquivos do OpenOffice.

Por parível que increça, o do OpenOffice é o mais difícil de ser usado, é preciso dezipá-lo e passar o arquivo content.xml. A maneira mais fácil de fazer isso é com o comando:

unzip -p arquivo.odt content.xml | o3totxt | tee

Infelizmente, nem sempre estes programas funcionam, mas mesmo assim são bastante úteis. Só lembrando que no caso dos arquivos da Microsoft, geralmente eles vêm na encoding 8859-1, por isso se aparecer alguns caracteres estranhos, passe uma opção dizendo a codificação do arquivo de entrada.

screen

Eu já falei sobre o screen antes, ele é útil pois permite ter vários shells rodando num mesmo console.

Considerações finais

É claro que existem alternativas aos programas que eu coloquei aqui, e existem outros programas, eu só procurei mostrar o que eu uso e que considero bons programas.

* Não sei… talvez devesse existir uma pontuação própria para perguntas retóricas. Se seria útil não sei, mas uma pontuação para sarcasmo seria.

Publicidade

Uma resposta para “Linux: Programas para o console

  1. Davidson fevereiro 22, 2014 às 7:32 pm

    Além do mplayer rodar vídeos em ASCII art também é possível assistir vídeos perfeitamente com o uso de framebuffer, como neste vídeo que fiz: http://www.youtube.com/watch?v=q-zqMZhqyHg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: